O bilionário e filantropo George Soros fez um alerta nesta quinta-feira sobre o perigo representado pela aliança entre os monopólios tecnológicos e os regimes repressivos, destacando o caso da China, acusando o presidente do país, Xi Jiping, de ser o maior oponente das democracias.
"Meu ponto é que a combinação de regimes repressivos com monopólios tecnlógicos dá a esses governos uma vantagem sobre as sociedades abertas", disse Soros durante um jantar com jornalistas no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça.
George Soros em foto de 2017. EPA/CLEMENS BILAN
"Os instrumentos de controle são ferramentas úteis nas mãos de regimes autoritários, mas representam uma ameaça mortal para as sociedades abertas. A China não é o único regime autoritário do mundo, mas é o mais rico, mais forte e o mais avançado tecnologicamente. Isso transforma Xi Jiping no oponente mais perigoso das sociedades abertas", ressaltou.
Por isso, na avaliação do bilionário, é muito importante distinguir as políticas do presidente chinês das aspirações do povo do país.
"Como Xi é o inimigo mais perigoso das sociedades abertas, devemos colocar nossas esperanças no povo chinês, especialmente na comunidad empresarial e uma elite política disposta a defender a tradição confuciana", afirmou Soros.
"Na verdade, estamos em uma guerra fria que ameaça se tornar uma guerra quente", afirmou.
Fonte: Agência EFE

Bottom Ad [Post Page]