A Polícia Civil do Amazonas, representada pelos delegados Paulo Martins e Walter Cabral, titular e adjunto, respectivamente,  da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), falou na manhã desta quinta-feira (24/01), durante coletiva de imprensa realizada às 9h30, no prédio da unidade policial, sobre o cumprimento de mandados de prisão temporária por homicídio qualificado em nome de Silvilla Gonçalves Judiss, 33, conhecida como “Sílvia”, e Lucimara de Souza Feitosa, 23, a “Lulu”, autoras da morte de uma adolescente de 16 anos em 2018.
De acordo com o delegado Paulo Martins, a dupla estava sendo investigada pelos policiais civis da DEHS após o homicídio da adolescente Camille Vitória Rodrigues dos Santos, ocorrido no dia 31 de dezembro de 2018, na rua Santa Cruz Machado, primeira etapa do bairro Japiim, zona sul da capital. A vítima tinha 16 anos. Martins ressaltou que, no dia do crime, as infratoras agrediram a vítima fisicamente, com socos e chutes, e, após isso, a estrangularam.
FOTOS: ERLON RODRIGUES/PC-AM
“A vítima ainda chegou a ser encaminhada ao Serviço de Pronto Atendimento (SPA) do Coroado, onde foi constatado o óbito. Após recebermos informações da morte dessa adolescente, nos deslocamos imediatamente até o Instituto Médico Legal (IML), onde identificamos uma marca de esganadura no pescoço da vítima. Ao longo das investigações, identificamos 'Sílvia' e 'Lulu' como sendo as autoras do delito”, explicou Martins.
O adjunto da DEHS destacou que, durante as diligências para localizar e prender as infratoras, os policiais civis da especializada constataram que "Silvia" comandava pontos de comercialização de drogas na primeira etapa do bairro Japiim e que Lucimara trabalhava para ela. “Tivemos uma certa dificuldade para encontrá-las, em razão de Silvilla intimidar as pessoas da área onde aconteceu o crime”, pontuou.
Prisões - Walter Cabral enfatizou que após a identificação das autoras foram representados à Justiça os pedidos de prisão temporária em nome das mulheres. As ordens judiciais foram expedidas pelo juiz Anésio Rocha Pinheiro, da 2ª Vara do Tribunal do Júri. Os policiais civis localizaram “Sílvia” no dia 16 de janeiro deste ano, na casa onde morava, no bairro Japiim, onde foi presa. Já Lucimara se apresentou na unidade policial na última terça-feira (22/01), onde foi dado cumprimento ao mandado de prisão em nome dela.   
Motivação - “Silvilla negou participação na morte da adolescente. No entanto, apontou Lucimara como autora. 'Lulu' declarou que estava sendo pressionada para assumir a culpa sozinha. Elas criaram uma versão, argumentando que a adolescente estava consumindo entorpecentes na área onde Silvilla atua e, por isso, chamaria atenção da polícia para o local. Posteriormente, descobrimos que a verdadeira motivação seria porque 'Sílvia' tinha ciúmes da adolescente com o companheiro dela, apesar de não ter sido confirmado qualquer tipo de envolvimento entre eles”, disse Cabral.
Silvilla e Lucimara foram indiciadas por homicídio qualificado. Ao término dos procedimentos cabíveis na DEHS, elas serão encaminhadas ao Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF), onde deverão ficar à disposição da Justiça.
Agradecimento - A mãe da vítima, Camila de Souza Rodrigues, que participou da coletiva de imprensa acompanhada por familiares, agradeceu todo o trabalho desempenhado pelas equipes da DEHS para a elucidação do caso. “Eu e toda a minha família agradecemos muito aos investigadores e delegados da especializada, pois foram a fundo nessas investigações e não desistiram em nos dar uma resposta. Eles fizeram um trabalho de excelência e só podemos parabenizá-los. Esperamos, agora, que a Justiça seja feita”, disse.

Bottom Ad [Post Page]