O número de mortos devido ao rompimento de uma barragem de rejeitos da mineradora Vale em Brumadinho (MG) subiu neste sábado para 11, e o de desaparecidos caiu para 299, segundo o Corpo de Bombeiros.
EFE/Antonio Lacerda
Além disso, 46 pessoas foram resgatadas nas últimas horas e levadas a hospitais, de acordo com um comunicado conjunto dos Bombeiros, da Polícia Militar e da Defesa Civil, que nas últimas horas tinham apresentado números diferentes sobre o total de desaparecidos.
Os Bombeiros também reconhecem que existe a possibilidade de que haja mais sobreviventes em quatro pontos da região.
"Existe a esperança, e o Corpo de Bombeiros vai trabalhar ininterruptamente para revisar toda a área com a possibilidade de encontrar vítimas vivas e também até o último momento (para localizar) vítimas desaparecidas", disse a jornalistas o comandante geral da corporação, Edgard Estevo da Silva.
O governo de Minas Gerais decretou estado de calamidade pública em Brumadinho, cidade da região metropolitana de Belo Horizonte e que fica a quatro quilômetros do Instituto Inhotim, um dos mais importantes acervos de arte contemporânea do Brasil.
A região da tragédia foi visitada hoje pelo presidente Jair Bolsonaro, que pelo Twitter que o governo "fará tudo o que estiver ao alcance" para "atender as vítimas, minimizar danos, investigar os fatos e prevenir novas tragédias como as de Mariana e Brumadinho, pelo bem dos brasileiros e do meio ambiente". 
Fonte: EFE

Bottom Ad [Post Page]