Uma barragem da Vale se rompeu nesta sexta-feira (25) na cidade mineira de Brumadinho. Ainda não se sabe sobre a dimensão do acidente e se existem vítimas. De acordo com a Defesa Civil, os moradores que moram na parte baixa da cidade serão retirados das casas. Os primeiros impactos do rompimento da barragem foram divulgados nas redes sociais por moradores locais. 
Fred Loureiro/ Secom ES

Entrevista do presidente da Vale Sr. Fabio Schvartsman
O presidente da Vale, Fabio Schvartsman, concedeu uma coletiva de imprensa nesta sexta-feira, lamentou o rompimento da barragem da empresa em Brumadinho (MG) e disse que o número provável de vítimas é grande.

Segundo Schvartsman, havia cera de 300 funcionário no local do rompimento, mas a companhia não sabe o número de vítimas. Pelo menos 100 desses funcionários já teriam sido localizados. Segundo ele, a Vale está focada em atender as vítimas e já montou três centros de atendimento na região.

Ele acrescentou que somente uma barragem foi rompida, e não três, como informou o Ministério do Meio Ambiente. No entanto, a barragem rompida era antiga e estava desativada há 3 anos. Por isso segundo ele, o material já estaria sólido e o risco ambiental seria muito menor, do que no caso do rompimento da barragem em Mariana, ocorrido há 3 anos. No entanto, ele acredita que o número de vítimas será maior.

"A parte ambiental deve ser muito menor, mas a tragédia humana deverá ser terrível", disse o presidente da Vale. "A chance de contaminação pequena, ou nenhuma", acrescentou.

Ao ser questionado sobre a segurança e prevenção de acidentes, Schvartsman revelou que uma auditoria foi feita na mina em 26 de setembro de 2018 e um relatório sobre estabilidade da barragem foi feito em 10 de janeiro deste ano. Ambos os estudos não demonstraram nenhum risco.
O executivo disse ser muito cedo para apurar as causas e afirmou que o foco, neste momento, são as pessoas. Ele pretende visitar a região ainda nesta sexta-feira.

Sábado (26/01/2019)


O presidente Jair Bolsonaro chegou ao local do acidente, e sobrevuou a área atingida pelo rompimento de uma barragem da Vale, localizada no município mineiro de Brumadinho.
O presidente decolou na manhã deste sábado (26) de Brasília e aterrissou no Aeroporto de Confins, em Belo Horizonte, informa o G1.

O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais comunicou que 13 aeronaves irão participar das buscas, além de viaturas, caminhões, cães de regaste, drones e outros equipamentos. Previamente, o tenente porta-voz dos Bombeiros, Pedro Aihara, declarou que as buscas iriam continuar, pois ainda há possibilidades de haver vítimas com vida no local do desastre, enquanto que o governador de Minas Gerais, Romeu Zema, disse em entrevista na noite de sexta que as chances de encontrar vítimas são mínimas. Aproximadamente 180 pessoas foram resgatadas e 9 morreram durante o acidente, enquanto os bombeiros estimam que haja cerca de 300 desaparecidas.  

Bottom Ad [Post Page]