A empresa Processamento de Dados Amazonas S.A (Prodam) apresentou nesta terça-feira (30/10) aos gestores das secretariais estadual e municipal de educação, o projeto Prodam Up. Em curso desde agosto deste ano, o projeto tem como objetivo modernizar  o parque tecnológico da empresa por meio da adoção de uma nova infraestrutura de T.I, proporcionando o aumento de desempenho no processamento das soluções hospedadas no ambiente da Prodam.
Foto Divulgação Prodam
Hoje, sistemas críticos como educação e trânsito estão hospedados na plataforma alta, conhecida como mainframe. Com o projeto, todas as aplicações desenvolvidas pela Prodam serão migradas para a nova plataforma hiperconvergente, também chamada de Nutanix. A mudança vai proporcionar um melhor desempenho na execução dos sistemas, possibilitando maior eficiência operacional e extinguindo os gargalos em períodos de maior processamento, além de possibilitar a evolução das aplicações em um futuro próximo.

O diretor presidente da Prodam, Fábio Naveca, explicou por que os serviços de educação foram escolhidos para serem os carros-chefes da mudança. “Os sistemas de educação representam 63% do volume total de informações processadas em nosso Datacenter. Além disso, são as soluções que possuem o maior número de clientes acessando simultaneamente, com aplicações que também são utilizadas pela população, como o sistema de matrícula e o portal educacional”.

Após a apresentação, o secretário de estado de Educação e Qualidade de Ensino (Seduc), Gedeão Amorim, falou da expectativa sobre a nova plataforma. “Fico muito alegre porque neste ano vamos superar alguns gargalos que estavam sendo criados em processos importantes  como a matrícula”, disse o secretário, referindo-se à matrícula eletrônica realizada via aplicativo e site web e que, em 2018, teve mais de 20 mil acessos nos primeiros cinco minutos após a liberação do sistema.
Já o chefe do departamento de planejamento da Secretaria Municipal de Educação (Semed), João Carlos da Silva Filho, falou sobre a importância de modernizar o parque tecnológico da Prodam. “A solução de compactar a infraestrutura, reduzir custos e otimizar a utilização dos recursos é interessante para todos: estado, municípios e demais clientes da Prodam”, disse.

Testes – “A partir do dia 1º de novembro, os técnicos da Semed e da Seduc já poderão testar a nova plataforma. E no dia 15 de novembro acontecerá a migração efetiva. Visualmente, as mudanças não serão aparentes, no entanto, os usuários perceberão uma maior eficiência no processamento dos sistemas”, explicou Naveca.

O projeto Prodam Up iniciou em agosto de 2018 e a previsão é que ele seja concluído até junho de 2019, quando todas as aplicações da empresa estiverem operando na nova plataforma hiperconvergente. Já em janeiro está prevista a migração dos sistemas de trânsito, seguida das aplicações de folha de pagamento.

Fonte: Seduc

Bottom Ad [Post Page]